A casa de Emaús de Cachoeira Paulista completa 30 anos de fundação

No dia 21 de Abril de 1986, há 30 anos atrás, o Henri Labosicio e Padre João Benevides, após conhecerem a realidade do munícipio, se juntaram para fundar uma casa de Emaús em Cachoeira Paulista, conforme as necessidades da cidade.

O movimento carrega em sua raiz a solidariedade em ação, ao mesmo tempo que desafia a política. A história iniciou em 1949 com o objetivo de agir para aqueles que sofrem mais e ser a voz daqueles sem voz. Abade Pierre foi o autor e precursor do Emaús por todo o mundo. No início dos anos 50, Abade compenetrou em sua vida a luta contra a penúria, se convencendo que não poderia haver limites para a diligência contra a pobreza.
As casas de Emaús foram estabelecidas em vários países e cada qual desenvolve um projeto diferente, com públicos diferentes. No Brasil são 11 grupos que formam a FEB (Federação Emaús do Brasil), em que se difundem por seis estados do país: Bahia (Emaús Água Viva); Ceará (Emaús Amor e Cidadania- Fortaleza; Emaús Amor e Justiça- Fortaleza; Emaús Amor e Vida- Maracanaú); Pernambuco (Trapeiros Emaús- Recife); Piauí (Trapeiros Emaús- Teresina); Rio de Janeiro (Comunidade Emaús Esperança e Vida- Resende; Associação de Reciclagem Emaús- Petrópolis); São Paulo (Movimento Reviver Emaús- Arujá; Emaús Igualdade- Cachoeira Paulista; Comunidade de Serviço Emaús- Ubatuba).
Em Cachoeira Paulista, a organização acolhe homens envolvidos com drogas, álcool e moradores de rua que pretendem mudar de vida. O projeto que a casa desenvolve é de coleta seletiva, são várias oficinas em que são desempenhados os trabalhos sociais. O material recolhido por eles nas ruas da cidade, são levados para o prédio, passados por processo de reciclagem e restauração. Após tratados, são vendidos no brechó do Emaús.
Hélio de Freitas, é morador do Emaús há 22 anos e diz ser muito grato pela acolhida e a nova vida que a casa proporcionou a ele. “Aqui eu mudei minha vida, sou morador da casa há 22 anos, já morei em outras casas do movimento e pra mim foi só crescimento. Hoje colaboro com a recuperação dos demais irmãos que chegam precisando de ajuda. O bom daqui é que a pessoa tem a liberdade de sair quando quiser, ela é dona de seus atos e não precisa ficar na casa se não se identificar. Aqui encontramos uma segunda chance de melhorar de vida e ajudar o próximo”, expressa o senhor Hélio de Freitas.
A primeira casa de Emaús do país foi a fundada no município, por Henri Labosicio e Padre Benevides, com a ajuda do casal Tânia e Gilmar, de Cachoeira Paulista. A casa é mantida por providência, doações e com as vendas dos objetos e materiais reutilizáveis, reformados e reciclados.
Neste ano de 2017 a casa do Emaús de Cachoeira Paulista completou 30 anos de fundação, e em clima de festa e comemoração foi inaugurada a Capela das mil Ave Maria, tão esperada pelos moradores.
Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Cachoeira Paulista

Comentários