Pular para o conteúdo principal

CCR NovaDutra inicia itinerância do Espetáculo ‘Cadê o amor que estava aqui?’, para alunos da rede municipal de Queluz e Lavrinhas, no Vale do Paraíba


Alunos de escolas públicas de Queluz e Lavrinhas, no Vale do Paraíba recebem a apresentação da itinerância de 2018 do espetáculo infantil ‘Cadê o amor que estava aqui?’. A peça teatral integra as atividades complementares do Programa Caminhos para a Cidadania realizado pelo Instituto CCR, por meio da CCR NovaDutra para alunos dos 4º e 5º anos das escolas municipais. O espetáculo percorrerá até o mês de novembro, as 36 cidades às margens via Dutra.
‘Cadê o amor que estava aqui?’ conta as experiências de um dedicado professor deficiente visual, que luta por um mundo melhor formando cidadãos conscientes, e que, ao promover uma atividade em sala de aula, pede a cada aluno que traga uma nova ideia para construir um país mais justo e unido. Surpreende-se ao notar que sobra criatividade, mas falta solidariedade, e propõe uma campanha entre os alunos.
O espetáculo lúdico busca desenvolver a cidadania dos espectadores, abordando temas como a preservação da natureza, inclusão social e diversidade. A peça ressalta a importância do trabalho em grupo e como pequenas atitudes podem ajudar a mudar o planeta.
Serviço
Espetáculo ‘Cadê o amor que estava aqui?’

Dia: 09/5 (quarta-feira)
Cidade: Queluz
Local: Clube do Trabalhador - Rua Prudente de Moraes, s/nº - Centro (ao lado da Prefeitura)
Horários: 9h, 10h30 e 15h
Turmas fechadas para os alunos

Dia: 10/5 (quinta-feira)
Cidade: Lavrinhas
Local: Clube Municipal de Lavrinhas 
Horários: 9h e 14h
Turmas fechadas para os alunos

O Programa Caminhos para a Cidadania, do Instituto CCR, realizado pela CCR NovaDutra desde 2005 para alunos do ensino fundamental das 36 cidades às margens da via Dutra, voltou reformulado para o ano de 2018. Voltado à mobilidade, cidadania e preservação da vida, este ano o programa trabalha a segurança no trânsito com os alunos de 4º e 5º anos do ensino fundamental das redes públicas de ensino. Até 2017, o programa levava Educação de Trânsito para a 4º série e Educação Ambiental para o 5º ano.

Fonte: Comunicação Social/CCRNovaDutra

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mulher é morta com golpe profundo na cabeça

Policiais Militares foram acionados para a rua Mario Pinto,Vila Batista parte alta, em Cruzeiro para atender uma ocorrência na madrugada desta quinta-feira(26).Pelo local foi encontrada sem vida Tamires Flaviana dos Santos,30 anos.Ela tinha um corte profundo na cabeça. A pericia foi acionada para os procedimentos e o corpo encaminhado para o IML de Cruzeiro. A Policia Civil vai investigar o caso e ainda de acordo com o registro a mulher tinha passagem criminal e era usuária de drogas.

Jovem é alvo de tentativa de homicídio próximo a rodoviária em Cruzeiro

Um jovem de 24 anos foi atingindo com tiro no braço esquerdo na noite de domingo (23) na avenida Rotary Clube,próximo a rodoviária.De acordo com testemunhas dois indivíduos em uma moto efetuaram vários disparos em direção a vítima e após o fato fugiram tomando rumo ignorado.O jovem passou por atendimento na Santa Casa.
A Policia Civil vai investigar o caso.

Após três meses de atraso, conjunto habitacional de Cruzeiro tem previsão de entrega em janeiro

*Andreah Martins Cruzeiro
Mesmo com manifestações e conversas entre moradores e administração, as famílias do conjunto habitacional Colinas da Mantiqueira 1 e 2 não iniciaram o ano de casa nova. A entrega, que estava prevista para outubro do ano passado, sofreu problemas burocráticos que retardaram a liberação dos apartamentos. A nova data tem previsão para a última quinzena deste mês. Em entrevista ao Jornal Atos, o prefeito Thales Gabriel (SD) contou que os adiamentos foram resultados de informações recebidas pela empreiteira. “A Prefeitura nunca se posicionou sobre data de entrega sem uma orientação por parte da construtora. Nos deparamos com regularizações formais a serem feitas na obra pela construtora, junto ao banco e ao cartório”. O principal obstáculo que impede a entrega é a documentação para iniciar as assinaturas. “Existia um problema de matrículas e a gente entrou de forma direta para poder ajudar. A não individualização das matrículas interferiu na confecção dos contratos”. O …

Visitas