Pular para o conteúdo principal

Vereadora de Cachoeira Paulista devolve dinheiro para evitar cassação


A vereadora Rosineide Nunes, a Toia da Reciclagem (PR), teve seu processo arquivado na última semana em Cachoeira Paulista. Toia foi denunciada à Procuradoria da República por um morador da cidade, em outubro do ano passado. A ação civil pública apontou que mesmo empossada, a parlamentar teria recebido até junho o auxílio do programa Bolsa Família do Governo Federal.

Na tribuna, Toia desabafou afirmando que o processo foi arquivado após ela ter apresentado provas de que havia recebido o benefício por três meses, cada no valor de R$176 totalizando R$ 528, que foram devolvidos ao Governo.

Na época, o denunciante, alegou que mesmo recebendo o subsídio de vereadora de quase R$ 3 mil, Toia teria continuado a contar mensalmente com R$ 166 do Bolsa Família, caracterizando prática ilegal, já que somente pessoas que possuem renda familiar per capita inferior a R$ 140, podem contar com o benefício concedido pelo Governo Federal.

Ela alegou que ao contrário da denúncia que afirmava que teria recebido por nove meses o benefício, havia recebido três meses e apresentou as provas ao Ministério Público que havia lhe dado um prazo de dez dias para se justificar.

Durante a denúncia, o morador chegou a apontar irregularidades ao prefeito João Luiz Ramos (PT), já que o Executivo é o responsável pelo cadastro dos moradores beneficiários. O denunciante afirmava que o recebimento indevido do auxílio implica também em ato de improbidade administrativa do chefe do Executivo. Na época, a Prefeitura declarou que as denúncias não tinham fundamento.

A parlamentar continua trabalhando com reciclagem todos os dias no período da manhã e garantiu que vai fazer sua carreira de forma honesta e humilde, que esse sempre foi seu ideal de vida.

Ainda na sessão, a vereadora comemorou o arquivamento do processo e desabafou dizendo que recebeu ofensas de alguns companheiros de plenário que a chamaram de ‘vereadora Bolsa Família’. Na ocasião em resposta, o vereador Aurélio da Farmácia (PMN) rebateu dizendo que o fato dela ter devolvido o valor não a isenta de ter cometido o crime.

Reportagem Idalina Miranda/Jornal Atos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mulher é morta com golpe profundo na cabeça

Policiais Militares foram acionados para a rua Mario Pinto,Vila Batista parte alta, em Cruzeiro para atender uma ocorrência na madrugada desta quinta-feira(26).Pelo local foi encontrada sem vida Tamires Flaviana dos Santos,30 anos.Ela tinha um corte profundo na cabeça. A pericia foi acionada para os procedimentos e o corpo encaminhado para o IML de Cruzeiro. A Policia Civil vai investigar o caso e ainda de acordo com o registro a mulher tinha passagem criminal e era usuária de drogas.

Jovem é alvo de tentativa de homicídio próximo a rodoviária em Cruzeiro

Um jovem de 24 anos foi atingindo com tiro no braço esquerdo na noite de domingo (23) na avenida Rotary Clube,próximo a rodoviária.De acordo com testemunhas dois indivíduos em uma moto efetuaram vários disparos em direção a vítima e após o fato fugiram tomando rumo ignorado.O jovem passou por atendimento na Santa Casa.
A Policia Civil vai investigar o caso.

Após três meses de atraso, conjunto habitacional de Cruzeiro tem previsão de entrega em janeiro

*Andreah Martins Cruzeiro
Mesmo com manifestações e conversas entre moradores e administração, as famílias do conjunto habitacional Colinas da Mantiqueira 1 e 2 não iniciaram o ano de casa nova. A entrega, que estava prevista para outubro do ano passado, sofreu problemas burocráticos que retardaram a liberação dos apartamentos. A nova data tem previsão para a última quinzena deste mês. Em entrevista ao Jornal Atos, o prefeito Thales Gabriel (SD) contou que os adiamentos foram resultados de informações recebidas pela empreiteira. “A Prefeitura nunca se posicionou sobre data de entrega sem uma orientação por parte da construtora. Nos deparamos com regularizações formais a serem feitas na obra pela construtora, junto ao banco e ao cartório”. O principal obstáculo que impede a entrega é a documentação para iniciar as assinaturas. “Existia um problema de matrículas e a gente entrou de forma direta para poder ajudar. A não individualização das matrículas interferiu na confecção dos contratos”. O …

Visitas