Cruzeirense participa do Festival de Cannes

O cineasta Eduardo Brandão Pinto, de Cruzeiro (SP), apresentou seu curta-metragem "O Vazio do Lado de Fora" no Festival de Cannes, na França. O evento cinematográfico foi no último mês e é considerado um dos mais importantes do mundo.

A produção teve início a partir de um trabalho de faculdade do cineasta, que deixou sua cidade natal para estudar cinema no Rio de Janeiro. Nele é abordada a realidade de uma comunidade no Rio de Janeiro que está passando por um processo de desocupação por causa das obras para as Olimpíadas, que ocorreram na cidade no ano passado.
"As obras para os jogos olímpicos geraram uma série de remoções de populações tradicionais. O roteiro do curta é baseado em cenas de pessoas, sem uma história muito clara, que estão em uma vila que foi demolida. O filme foi todo gravado na Vila Autódromo, no Rio de Janeiro", disse Brandão, que ainda está na Europa.

Segundo o cineasta, o ambiente era propício para a gravação do curta. "O cenário era bem apocalíptico, mas com um espírito de resistência muito forte das pessoas que ainda estavam lá. O momento que o país passava, em relação ao impeachment da Dilma, também ajudou na construção do clima. Quando chegamos havia 10 ou 20 famílias que ainda estava vivendo lá. As demais já haviam sido retiradas", explicou.

O roteiro foi escrito pelo cineasta durante uma disciplina do curso de Cinema na Universidade Federal Fluminense, em 2015. Por meio de um edital da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro, o projeto saiu do papel.
"Só foi possível viabilizar o projeto por causa do edital, que disponibilizou um valor de R$ 9,5 mil para a produção do filme. Eu já havia produzido outros quatro curtas, mas de maneira mais documental. Este foi meu primeiro trabalho com ficção e com atores. O curta foi todo gravado no segundo semestre de 2016", disse o cineasta.


A 70ª edição do Festival de Cannes foi entre os dias 17 e 28 de maio deste ano. O evento acontece desde 1946 na cidade de Cannes e é considerado um dos mais importantes festivais de cinema do mundo. Nele são premiados os melhores filmes, atores e roteiros.
Dentre as diversas categorias do festival, o curta-metragem de Eduardo concorreu com outros 15 filmes na Cinéfoundation, todos internacionais, que foram selecionados para o festival entre mais de 2.500 projetos inscritos.
"A Cinéfoundation é uma categoria de filmes que têm alguma ligação com universidades. Para mim é uma oportunidade incrível participar do festival porque possibilita muitos contatos, abre muitas portas. Traz um certo prestígio, uma certa credibilidade", disse Brandão.
A categoria conta com jurados renomados, como o cineasta romeno Cristian Mungiu, que já ganhou prêmios em Cannes, e o diretor Barry Jenkins, que faturou o Oscar de melhor filme de 2017 com 'Moonlight'.
O curta 'O Vazio do Lado de Fora' foi analisado no dia 26 de maio, mas não foi premiado durante o festival. Ele também foi exibido na última quinta-feira (1º) na Cinematéca Francesa, em Paris. "É uma tradição do festival exibir os filmes da Cinematéca. É algo que dá uma visibilidade bem legal", finaliza o cineasta, que ficou na França após o fim do festival para a exibição.


Fonte g1/vale
(*) Colaborou Idelter Xavier

Comentários